top of page

5 formas de usar o ChatGPT como ferramenta para o roteirista

Se você não está morando numa caverna, provavelmente deve ter acompanhado as discussões sobre a inteligência artificial e os softwares disponíveis por aí, como o Chat GPT ou o Midjourney, só para citar alguns.


Tem muita polêmica rolando, uns achando que vão perder o emprego para as máquinas, outros achando que a Skynet vai assumir o controle. E se você é como eu, sabe que quando surge uma tecnologia nova, quem aprende a tirar o melhor proveito dela sai na frente.


Por isso, eu trouxe aqui algumas possibilidades mostrando como nós podemos utilizar a IA como uma ferramenta para facilitar o nosso trabalho.



1. Pesquisa bibliográfica e de referências


Você está começando a escrever a sua romcom, ou o seu suspense psicológico, e precisa de uma listinha de referências para buscar inspiração? Ou talvez você queira apenas saber se a sua nova ideia super original já existe por aí. É só pedir pro Chat GPT, que ele te conta.


No teste que eu fiz, pedi uma lista de livros, filmes e séries de TV que mostrassem a rotina de um policial no Brasil. Ele me deu 5 exemplos de cada. Apesar de ter repetido “O Mecanismo” como exemplo de filme e série, as opções que ele trouxe foram bem interessantes. Insisti e pedi 5 exemplos adicionais, e ele trouxe novas opções.


Muito além da pesquisa de referências, a IA também pode te ajudar a descobrir de forma rápida e resumida algumas informações sobre a rotina de uma profissão específica, como o passo a passo de uma investigação policial ou de uma cirurgia de apendicite.


Nem preciso dizer que pesquisas históricas, como a lista de presidentes dos Estados Unidos, ou quem foi o inventor da caneta esferográfica, também podem ser feitas aqui - apesar de não ser muito diferente do que você já fazia no tio Google.



2. Validar um argumento (e sugerir melhorias!)


De todas as possibilidades que testei, essa talvez tenha sido a que mais me impressionou. Peguei aquele argumento de 5 páginas que estava engavetado e nunca foi escrito (porque nunca tinha ficado satisfeito com a história), e pedi sugestões de melhoria.


O Chat GPT identificou o personagem principal, dividiu a minha história em três atos, e apresentou uma série de sugestões para cada um. Uma delas, por exemplo, falava sobre a falta de conexão entre pai e filha e como resolver esse problema. Ele também identificou partes que poderiam ser reduzidas ou eliminadas, e sugestões alternativas para momentos clichês. Ele ainda sugeriu momentos onde eu poderia adicionar dinamismo, dramaticidade ou sutileza nas cenas, e até elogiou alguns pontos de virada importantes (obrigado, cara!).


3. Superar o temido bloqueio do escritor


Precisa escrever aquela cena difícil, com muitos personagens ou muita ação acontecendo? Ou talvez você esteja num daqueles dias ruins, onde a escrita não rende ou você não está tão inspirado? Afinal de contas, ele, o temido bloqueio do escritor, pode acontecer com qualquer um.


Os grandes professores de roteiro sempre dizem: “write crap, and fix crap later”. Traduzindo bem literalmente, seria algo como, “escreva besteira, e conserte a besteira depois”. Você com certeza já ouviu isso por aí. Naqueles dias que nem a besteira sai no papel, deixe ela com o Chat Gpt.


Mas não crie grandes expectativas, viu. O resultado provavelmente não vai ser mais que isso - uma grande besteira -, mas você já vai ter o que consertar.


4. Cortar, editar e estender.


Essa também achei bem bacana.


Seu longa-metragem tem 103 páginas, mas o concurso só aceita até 100? Você sabe que tem aquela cena muito longa, mas não está conseguindo identificar onde cortar. Ou talvez você só seja muito apaixonado pelo seu próprio texto, e não quer cortar aquela linha de diálogo que você ficou dois dias trabalhando em cima?


Com as instruções certas, a IA faz o trabalho sujo para você. Você pode, por exemplo, pedir para não mexer em falas específicas ou não omitir informações importantes que precisam ser ditas.


É possível também pedir à IA para estender um monólogo. Talvez você tenha um voice-over que precisa ser maior para acomodar toda a ação. Ou você queira deixar o texto mais lúdico, mais informal ou mais rebuscado. Usar figuras de linguagem, como metáforas e eufemismos. Aqui vale a pena brincar com as possibilidades.


5. Nomes e títulos


Um dos meus favoritos, principalmente porque eu sempre fui muito ruim com nomes e títulos. Se você é como eu, e fica sempre pensando que nunca consegue achar o título perfeito, quero dizer que seus problemas acabaram!


Joga uma breve sinopse do seu projeto, explica o tom e o que você quer com o título, e voilà! Veja a mágica acontecer. Nos testes fiz, eu pedi uma lista com 10 sugestões. Algumas são melhores que outras, mas nos dois casos, teve pelo menos um título que realmente gostei.


Dica extra: saiba pedir com jeitinho


Apesar de já ter sido feito por aí, não acredito que a IA vai eliminar o trabalho do roteirista por inteiro. Até porque, para conseguir bons resultados em cada uma das cinco dicas acima, é importante saber como pedir. Quanto mais específicos forem os pedidos, melhores serão as respostas.


E para pedir direitinho, com todas as informações que o software precisa, só um roteirista vai saber fazer. Por isso, quando estiver usando a ferramenta, abuse de termos técnicos, nomes de livros, autores e até de conceitos. Seja específico em detalhes importantes, quantidades, palavras-chave, tudo o que você conseguir pensar para o seu pedido ser detalhado e preciso.


Quanto mais você pedir com jeitinho, maiores as chances de você gostar da resposta.


E vocês? Já experimentaram a ferramenta, ou usaram para alguma outra situação que eu não listei aqui? Deixa um comentário!


Comments


fd11_Banner_220x220.jpg
bottom of page